Blog do TJPP

Bem vindo … Welcome

Aqui você encontra posts sobre Física, Complexidade, Linux, Debian, etc., enfim tudo que poderia interessar a um físico computacional.

english.jpgHere you will find news and comments about Physics, Computers, Debian, GNU/Linux, and anything else that could be of interest to a computational physicist. If you think that something here could be of interest for you but you are not a Portuguese native reader, please comment in English and I will be happy in providing you a summary of what is written in english. If you prefer, e-mail me.


Jayme Tiomno e o silêncio da mídia

Eu achei este artigo bastante interessante e não poderia escrever melhor que isto. Vou reproduzir o início aqui para que os interessados tenham acesso ao artigo na íntegra:

Na madrugada do dia 12 de janeiro de 2011 o Brasil perdeu um dos mais importantes cientistas do mundo. O físico teórico Jayme Tiomno morreu aos 90 anos no Rio de Janeiro e mais uma vez não vimos sequer uma linha escrita sobre o fato nos grandes veículos de comunicação do país. Concordo que a contratação de um grande craque do futebol para um dos maiores times brasileiros possa ser a primeira página, afinal o futebol é uma paixão nacional. Uma tragédia como a da região serrana fluminense deve ocupar também as chamadas principais. Porém, nem uma nota de rodapé noticiando a perda de um cientista da envergadura de Jayme Tiomno. Isso chega a ser uma indelicadeza, uma falta de respeito com a memória nacional.

Vejam o restante em FotonBlog.

18/Jan/2011 20:17 · tjpp · 1 Comentário · 0 Linkbacks

Mudanças para 2011: Migração para o Sul

migration.jpg

2011 será um ano de mudanças radicais, para mim. Sim, é sério, não é papo de final de ano. A partir do ano que vem estarei cedido ao Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal Fluminense, em Volta Redonda, na região do Sul Fluminense. Eu entrei na Física da UFF, como aluno em 1980. São mais 30 anos, sendo que fiquei dois anos fora, em Boston, para o pós-doutorado. Quando eu entrei, o curso de Física da UFF não tinha, nem de perto, a projeção que tem hoje. Agora é 6 na CAPES (nota máxima 7), 5 no Enade, 5 estrelas Quatro Rodas, etc. Como disse um amigo meu, anos atrás: “Agora que ficou bom, é que vou sair ???”

Eu, confesso, estou orgulhoso de mim mesmo por fazer esta mudança depois de tanto tempo. Vou para um Instituto que passou a existir fisicamente este ano. A segunda turma do curso de Física Computacional só entra em 2011. Ainda não temos pós-graduação. E então ? Pois é, estamos em uma situação que lembra a Física de Niterói há 25 anos atrás. Eu já passei por isto e, pasmem, gostei. Além disto, tenho algumas razões a mais: fui criado no Sul Fluminense e tenho ainda parentes e amigos por lá. Faço parte e ajudei a montar o grupo de Software Livre do Sul Fluminense e as primeiros eventos de Software Livre por lá. Alguns professores do ICEx são ex-alunos e meus amigos. O Maracanã vai estar fechado e o Mengão deve jogar no Estádio da Cidadania. A Mistura Clássica é ótima.

Outro ponto importantíssimo é que a situação de Ciência e Tecnologia no país é muito melhor hoje. Temos muito mais apoio hoje que há 20 anos. Devo me mudar em janeiro ou fevereiro, mas olha o que já temos por lá:

  1. Realização da II Escola e Conferência em Modelagem Computacional, com mais de 100 participantes, sendo vários de estados diferentes, com apoio da FAPERJ, CNPq e INCT.
  2. Projeto “Apoio às atividades de pesquisa em física computacional do ICEx/UFF” aprovado na FAPERJ para montar o laboratório multiusuário de Computação Científica do ICEx (R$ 60 mil).
  3. Projeto “Fábrica de ciência: a casa da descoberta vai ao Sul Fluminense” aprovado na FAPERJ para montar um laboratório de Ciências para uma escola pública em Passa Três e montar um museu interativo para a população, nos moldes da Casa da Descoberta da UFF.
  4. Duas bolsas de pós-doutorado (um bolsista já está atuando no ICEx).

Assim, tenho bastante coisa para fazer quando me mudar (e nem contei os projetos científicos e de software livre). Ah, atualizar o blog mais frequentemente também…

Manifesto dos 5000 professores universitários ultrapassa a meta

A ideia era juntar 5000 professores universitários do país para manifestar a rejeição aos atos e propostas de governos como os de FHC e Serra para a educação. Agora (25/10) o manifesto já conta com mais de 5100 assinaturas e mais de 300 a serem adicionadas (inclusive a minha). Veja a razão do manifesto e quem está com ele em http://emdefesadaeducacao.wordpress.com/manifesto-dos-5000/. Se isto ainda não chegou à sua universidade, espalhe – se concordar, é claro!!

25/Oct/2010 10:36 · tjpp · 0 Comments · 1 Linkback

Aprendendo a Andar com as Próprias Pernas ... no Rumo Certo

alameda.jpg

Segundo o Google Street View, na minha rua as pessoas ainda não aprenderam a andar com as próprias pernas. Aproveito para divulgar o Manifesto de Reitores das Universidades Federais à Nação Brasileira, para inspirar a escolha do caminho certo.

EDUCAÇÃO – O BRASIL NO RUMO CERTO

Da pré-escola ao pós-doutoramento - ciclo completo educacional e acadêmico de formação das pessoas na busca pelo crescimento pessoal e profissional - consideramos que o Brasil encontrou o rumo nos últimos anos, graças a políticas, aumento orçamentário, ações e programas implementados pelo Governo Lula com a participação decisiva e direta de seus ministros, os quais reconhecemos, destacando o nome do Ministro Fernando Haddad.

Aliás, de forma mais ampla, assistimos a um crescimento muito significativo do País em vários domínios: ocorreu a redução marcante da miséria e da pobreza; promoveu-se a inclusão social de milhões de brasileiros, com a geração de empregos e renda; cresceu a autoestima da população, a confiança e a credibilidade internacional, num claro reconhecimento de que este é um País sério, solidário, de paz e de povo trabalhador. Caminhamos a passos largos para alcançar patamares mais elevados no cenário global, como uma Nação livre e soberana que não se submete aos ditames e aos interesses de países ou organizações estrangeiras.

Este período do Governo Lula ficará registrado na história como aquele em que mais se investiu em educação pública: foram criadas e consolidadas 14 novas universidades federais; institui-se a Universidade Aberta do Brasil; foram construídos mais de 100 campi universitários pelo interior do País; e ocorreu a criação e a ampliação, sem precedentes históricos, de Escolas Técnicas e Institutos Federais. Através do PROUNI, possibilitou-se o acesso ao ensino superior a mais de 700.000 jovens. Com a implantação do REUNI, estamos recuperando nossas Universidades Federais, de norte a sul e de leste a oeste. No geral, estamos dobrando de tamanho nossas Instituições e criando milhares de novos cursos, com investimentos crescentes em infraestrutura e contratação, por concurso público, de profissionais qualificados. Essas políticas devem continuar para consolidar os programas atuais e, inclusive, serem ampliadas no plano Federal, exigindo-se que os Estados e Municípios também cumpram com as suas responsabilidades sociais e constitucionais, colocando a educação como uma prioridade central de seus governos.

Por tudo isso e na dimensão de nossas responsabilidades enquanto educadores, dirigentes universitários e cidadãos que desejam ver o País continuar avançando sem retrocessos, dirigimo-nos à sociedade brasileira para afirmar, com convicção, que estamos no rumo certo e que devemos continuar lutando e exigindo dos próximos governantes a continuidade das políticas e investimentos na educação em todos os níveis, assim como na ciência, na tecnologia e na inovação, de que o Brasil tanto precisa para se inserir, de uma forma ainda mais decisiva, neste mundo contemporâneo em constantes transformações.

Finalizamos este manifesto prestando o nosso reconhecimento e a nossa gratidão ao Presidente Lula por tudo que fez pelo País, em especial, no que se refere às políticas para educação, ciência e tecnologia. Ele também foi incansável em afirmar, sempre, que recurso aplicado em educação não é gasto, mas sim investimento no futuro do País. Foi exemplo, ainda, ao receber em reunião anual, durante os seus 8 anos de mandato, os Reitores das Universidades Federais para debater políticas e ações para o setor, encaminhando soluções concretas, inclusive, relativas à Autonomia Universitária.

Alan Barbiero - Universidade Federal do Tocantins (UFT) José Weber Freire Macedo – Univ. Fed. do Vale do São Francisco (UNIVASF) Aloisio Teixeira - Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Josivan Barbosa Menezes - Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA) Amaro Henrique Pessoa Lins - Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Malvina Tânia Tuttman – Univ. Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) Ana Dayse Rezende Dórea - Universidade Federal de Alagoas (UFAL) Maria Beatriz Luce – Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) Antonio César Gonçalves Borges - Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Maria Lúcia Cavalli Neder - Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Carlos Alexandre Netto - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Miguel Badenes P. Filho – Centro Fed. de Ed. Tec. (CEFET RJ) Carlos Eduardo Cantarelli – Univ. Tec. Federal do Paraná (UTFPR) Miriam da Costa Oliveira – Univ.. Fed. de Ciênc. da Saúde de POA (UFCSPA) Célia Maria da Silva Oliveira – Univ. Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) Natalino Salgado Filho - Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Damião Duque de Farias - Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) Paulo Gabriel S. Nacif – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) Felipe .Martins Müller - Universidade Federal da Santa Maria (UFSM). Pedro Angelo A. Abreu – Univ. Fed. do Vale do Jequetinhonha e Mucuri (UFVJM) Hélgio Trindade – Univ. Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) Ricardo Motta Miranda – Univ. Fed. Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) Hélio Waldman – Universidade Federal do ABC (UFABC) Roberto de Souza Salles - Universidade Federal Fluminense (UFF) Henrique Duque Chaves Filho – Univ. Federal de Juiz de Fora (UFJF) Romulo Soares Polari - Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Jesualdo Pereira Farias - Universidade Federal do Ceará - UFC Sueo Numazawa - Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) João Carlos Brahm Cousin - Universidade Federal do Rio Grande – (FURG) Targino de Araújo Filho – Univ. Federal de São Carlos (UFSCar) José Carlos Tavares Carvalho - Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) Thompson F. Mariz - Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) José Geraldo de Sousa Júnior - Universidade Federal de Brasília (UNB) Valmar C. de Andrade - Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) José Seixas Lourenço – Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) Virmondes Rodrigues Júnior – Univ. Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) Walter Manna Albertoni - Universidade Federal de São Paulo ( UNIFESP)

12/Oct/2010 21:26 · tjpp · 1 Comentário · 0 Linkbacks

Inkscape no Mac OS/Linux Mint: Extensões e Tablet MousePen

Começando a trabalhar mais seriamente no Mac: as extensões não funcionam de cara no Inkscape. Você pode encontrar a mensagem

“The fantastic lxml wrapper for libxml2 is required by inkex.py 
and therefore this extension ... "
O fix é relativamente fácil:
sudo easy_install lxml
sudo easy_install numpy

Outra novidade é que instalei o driver para MacOSX para minha tablet MousePen 8×6, que já comentei aqui. Baixei o driver em http://geniusnet.com (o site é meio lento) e instalei. Apesar de vir com um programa de calibração, o ajuste default já foi perfeito, inclusive com os botões laterais. Além de funcionar no Inkscape, existe um programinha que na versão free as a beer permite trabalhar com duas camadas, uma para o esboço e outra para a versão final, por exemplo. O programa é o TabletDraw. Achei legalzinho.

Para instalar a tablet no Linux Mint, adicionei o ppa do driver mais novo: Menu→Administração→Canais de Software→Outro Software→Adicionar

ppa:doctormo/xorg-wizardpen 
Recarregar e instalar o pacote xserver-xorg-input-wizardpen. Reiniciar o X já resolve o tablet já está funcionando. Não está perfeitamente calibrado com as margens, mas é próximo e eu estou com preguiça de calibrar no X. No Inkscape, eu configurei o Tablet, ativando-o em Dispositivos de Entrada. Aí a sensibilidade à pressão funciona perfeitamente. Eu prefiro trabalhar no modo Tela, onde o tablet corresponde à tela toda e não apenas à janela do Inkscape.

12/Oct/2010 21:14 · tjpp · 0 Comments · 0 Linkbacks

Linkbacks

Use the following URL for manually sending trackbacks: http://profs.if.uff.br/tjpp/lib/plugins/linkback/exe/trackback.php/blog
blog.txt · Última modificação: 16/Apr/2010 09:40 por tjpp
chimeric.de = chi`s home Creative Commons License Valid CSS Driven by DokuWiki do yourself a favour and use a real browser - get firefox!! Recent changes RSS feed Valid XHTML 1.0